quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Macro III - Distribuição do PIB em Sergipe

Mais concursos públicos em 2012

Mais de 50 mil vagas em concursos públicos devem abrir em 2012

Três ministérios tiveram concursos autorizados pelo governo federal no fim de 2011. São eles: Ciência, Tecnologia e Inovação; Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; e Planejamento. Além desses ministérios, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) teve concurso para 46 vagas autorizado. Esperando liberação estão a Agência Nacional de Cinema (Ancine) e a Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Macro III - Distriubição de renda e patrimônio

Novo estudo mostra para os Estados Unidos que os pobres ficam pobres e os ricas ficam mais ricos:

http://rrp.sagepub.com/content/43/4/467.full.pdf+html
Who Are the Winners
and the Losers? Transitions
in the U.S. Household
Income Distribution
John J. Hisnanick
Abstract
In the five decades since Kuznets (1955) published his hypothesis on income inequality, a large
and significant portion of the work on income distribution and inequality has involved using
cross-sectional data for developmental comparisons at the intra- and international levels.
Using cross-sectional data, these studies have tracked inequality trends that were deemed the
consequence of growth and technical progress due to fiscal manipulations, such as levying taxes
and granting subsidies to satisfy some welfare target. While this prior work provided valuable
insight at the macroeconomic level on the interrelationship of development, economic growth,
and income inequality, only over the last few decades has the research emphasis shifted from
an understanding of the implications of income inequality at the aggregate level to that at the
individual level. Using cross-sectional data it is possible to track income groups over time, but
not the composition nor the characteristics of these groups, which are likely to change over
time and affect their position in the income distribution. On the other hand, with the availability
of longitudinal, micro-level data it has become possible to investigate in more detail underlying
facets of income distribution, such as income mobility, and the lack of it, among households.
Using three panels of the Survey of Income and Program Participation (SIPP) (1993, 1996, and
2001) and building upon the methodological suggestions of Jarvis and Jenkins (1998) and Jenkins
(2000), this paper looks at a household’s economic and demographic characteristics relative to
their position in the income distribution. For example, results indicate that between 1996-1999,
13 million households experienced changes in their annual income that resulted in their moving
up or down two or more quintiles in the income distribution. On the other hand, 39 percent of
households (38.5 million) remained in the same quintile between 1996-1999 with the majority
of these households experiencing intra-quintile movements. Of notable interest is that of those
households remaining in the fourth and top quintiles between 1996-1999; 70 percent and
65 percent, respectively, experienced positive intra-quintile gains in income ranging, on average,
from $3,550 to $10,812 annually

Macro 3 - Crescimento Econômico

Recursos para Macro 3 - Parte I: Crescimento econômico
http://continentaleconomics.com/AulasOnlineCrescimentoEconomico.htm

Dinâmica Macroeconômica - Recursos para a teoria keynesiana

Recursos sobre a teoria macroeconômica de Keynes
http://ich.ufpel.edu.br/economia/professores/aadenardin/M4.pdf
http://master.fclar.unesp.br/Home/Departamentos/Economia/james.pdf
http://www.ie.ufrj.br/revista/pdfs/5A_derrota_da_lei_de_say.pdf
http://pt.wikiquote.org/wiki/John_Maynard_Keynes

Podcasts
http://continentaleconomics.com/AulasOnlineKeynes.html

Mortalidade infantil 1970-2010


Mais

Banco Central Euopeu alimenta sistema financeiro de novo

BCE repassa € 530 bi a bancos para combater crise

DA ASSOCIATED PRESS, EM FRANKFURT


O BCE (Banco Central Europeu) repassou ao setor bancário nesta quarta-feira um montante de € 529,5 bilhões (US$ 712,4 bilhões) por meio de empréstimos a taxas de juros reduzidas, em sua segunda injeção maciça de crédito, usada para conter a crise das dívidas soberanas. Essa operação já estava prevista desde o final do ano passado.
A oferta de crédito em linhas de três anos foi aceita por 800 bancos. A quantia repassada foi superior à primeira operação desse tipo, quando 523 bancos aceitaram uma quantia de € 489 bilhões (US$ 657,9 bilhões), no dia 21 de dezembro passado.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Superávit primário

Governo central tem superávit primário recorde em janeiro

reuters

BRASÍLIA, 28 Fev (Reuters) - O governo central registrou superávit primário de 20,809 bilhões de reais em janeiro, informou o Tesouro Nacional nesta terça-feira, o maior da história para esses meses. Um ano antes, o saldo havia ficado positivo em 14,201 bilhões de reais e em dezembro passado, em apenas 2,017 bilhões de reais.
Já a Previdência Social, no mesmo período, apresentou déficit de 3,005 bilhões de reais, ainda segundo dados do Tesouro. Em janeiro de 2011, as contas da Previdência tiveram déficit de 3,021 bilhões de reais.
Mais

Palestra sobre o ciclo de negócios

Dr. Ed Lopez, associate professor of economics at San Jose State University, gives an introduction to business cycles
http://www.youtube.com/watch?v=_It4rBtM3EE&feature=youtu.be&hd=1

Taxa de juros anuais - Estados Unidos fixo (fixed) e ajustáveis (ARM)

TypeToday1 Month ago
30 yr fixed mtg3.95%3.97%
15 yr fixed mtg3.27%3.29%
30 yr fixed jumbo mtg4.51%4.67%
5/1 ARM2.90%2.87%
3/1 ARM2.84%2.76%

Crescimento abaixo do potential

Tombini: Brasil está crescendo abaixo do seu potencial

Reuters Brasil

BRASÍLIA, 28 Fev (Reuters) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta terça-feira que nos últimos três trimestres, incluindo o atual, a economia brasileira vem crescendo abaixo do seu potencial. Segundo ele, isso possibilita as reduções na Selic que têm sido feitas pelo BC.
Mais

Tombini: Brasil está crescendo abaixo do seu potencial

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 12:05 BRT
 
Imprimir
[-] Texto [+]

BRASÍLIA, 28 Fev (Reuters) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta terça-feira que nos últimos três trimestres, incluindo o atual, a economia brasileira vem crescendo abaixo do seu potencial. Segundo ele, isso possibilita as reduções na Selic que têm sido feitas pelo BC.

A Alemanha de hoje

Por que os alemães são os americanos de ontem

Quarta maior economia do mundo, a Alemanha prosperou com base em princípios que os Estados Unidos parecem ter gradualmente perdido

29 de janeiro de 2012 | 3h 04

DON LEE - LOS ANGELES TIMES
Todo verão, Volkmar e Vera Kruger passam três semanas de férias no sul da França ou em algum recanto fresco da Dinamarca. Nas outras três semanas de suas férias anuais, eles praticam jardinagem ou viajam algumas horas para torcer por seu time no maior estádio de futebol da Alemanha. O casal, já na casa dos 50 anos, não é aposentado nem rico.
Eles moram em uma casinha estilo Tudor em uma cidade de classe média a cerca de 50 quilômetros a noroeste de Frankfurt. Ele é capataz numa fábrica de vidro. Ela trabalha em tempo parcial numa empresa que monitora estoques para varejistas. Suas rendas combinadas alcançam modestos US$ 40 mil anuais.
Leia mais sobre a Alemanha de hoje
Reportagem

O mundo em crise

Paulo Guedes explica: "A grande crise contemporânea presta-se a muitas interpretações. A especulação imobiliária e os excessos dos financistas americanos são apenas suas faces mais visíveis. A demagogia e a irresponsabilidade financeira de uma obsoleta social-democracia europeia estão ainda camufladas pela crise do euro. Mas a onda de empréstimos inadequados que foi disparada pela adoção da moeda continental, derrubando riscos de crédito soberanos sem distinção de fundamentos fiscais, foi apenas a etapa final de uma longa história de abusos orçamentários e finanças públicas insustentáveis..."
Mais

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Mais buracos a estrada tem, menos lombadas se precisa, diz governo

Obrigado, governo pelos buracos nas estradas. Mais buracos menos lombada se precisa, sim?

Quer trocar o seu heli com o meu carro? Pois não?

Motoristas pagam mais de R$ 25 bilhões de IPVA em 2011

Em segunda-feira 27/2/2012, às 17:26

SÃO PAULO – Durante o ano passado, os mais de 66 milhões de proprietários de veículos em todo o País pagaram R$ 25,1 bilhões de IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos e Automotores).
Mais

Como criar emprego

WSJ economist: Ron Paul's 0% income tax would be world's greatest job creator

Fim da festa na Grécia

Grécia demitirá 15 mil funcionários públicos em 2012, diz ministro

Governo tenta acordo com a 'troika' para obter novo empréstimo.
Venizelos disse que negociações estão 'muito duras' e que vão continuar.

O governo grego fechou um acordo nesta segunda-feira (6) com a “troika” – formada pela Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) – para cortar 15 mil empregos públicos até o final de 2012, segundo informou o ministro da Reforma Admnistrativa, Dimitris Reppas.
Mais

Ementa Análise Macroeconômica

303154 ANÁLISE MACROECONÕMICA III
Prof. Dr. Antony P. Mueller – UFS – e-mail: antonymueller@gmail.com
Fone: (79) 8153-4022
EMENTA: Teorias do crescimento econômico. Crises econômicas, monetárias e financeiras.
Política fiscal e monetária e suas limitações. Distribuição de renda e patrimônio. Abordagens heterodoxas. Análise de problemas macroeconômicas da atualidade. Debates da macroeconomia.
AVALIAÇÂO: Três provas, um trabalho opcional, participação na aula, freqüência de presença nas aulas.
METODO:
1. Método: expositivo-dialógico
2. Procedimentos didáticos:
                        -           Estudos dirigidos em sala de aula
                        -           Apresentação de trabalhos de pesquisa e reflexão
                        -           Exercícios analíticos
                        -           Leituras reflexivas
                        -           Analise de exemplos
                        -           Discussão de temas de atualidade      


TEMAS das aulas
  1. Modelos macroeconômicos – revisão
  2. Crescimento econômico – Contextualização
  3. Análise estatística do crescimento econômico
  4. Poupança e investimentos
  5. Acumulação de capital
  6. Progresso tecnológico
  7. Progresso tecnológico, salário e emprego
  8. Depressões e crises
  9. Hiperinflação – Deflação
  10. Produção de dinheiro e senhoriagem
  11. Conceitos da política monetária (regra de Taylor
  12. Limites da política fiscal
  13. A macroeconomia em debate
  14. Atualidade macroeconômica global
  15. Atualidade macroeconômica do Brasil

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Livro de texto padrão:
 Olivier Blanchard: Macroeconomia. Pearson Education do Brasil. 4ª edição 2007  Cap.: 10-13; 22-23; 24-27
N. Gregory Mankiw: Macroeconomia. Editora LTC. 1998 Cap. 4, 6,12,18

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: 
Ackley, Gardner (1978). Teoria Macroeconômica. São Paulo, Pioneira
Dornbusch, R & Fischer,S. (1991). Macroeconomia. São Paulo, Makron/McGraw-Hill
Leite, José Alfredo A. (1994). Macroeconomia.. São Paulo, Atlas
Shapiro, Edward (1976). Análise Macroeconômica. São Paulo, Atlas
Sachs, Jefrey D. & Larrain, B.Felipe (1995).Macroeconomia. Rio de Janeiro,Makron Books
Simonsen, Mano H & Cysne, Rubens P. (1995). Macroeconomia. São Paulo, Atlas,

Referências atualizadas e estatísticas mais recentes com recursos adicionais:
www.economianova.blogspot.com  

Recursos adicionais:
http://continentaleconomics.com/AulasOnlineMacroIII.html
Crescimento Econômico
Depressões e Crises

Ementa Dinâmica Macroeconômica

Prof. Dr. Antony P. Mueller – UFS – e-mail: antonymueller@gmail.com
Fone: (79) 8153-4022
EMENTA:
As teorias de Keynes, Kalecki e Schumpeter e as suas diversas escolas e de outras economistas na perspectiva da dinâmica macroeconômica. Teoria pós-keynesiana. Contexto histórico das teorias. Aplicações empíricas. Análise comparativa entre modelagem de equilíbrio e modelos dinâmicos. Novas abordagens da teoria dinâmica macroeconômica. Análises comparativas. Aplicações da atualidade econômica Brasil e o mundo.
AVALIAÇÂO:
Três provas, um trabalho opcional, participação na aula, freqüência de presença nas aulas.
METODO:
1. Método: expositivo-dialógico
2. Procedimentos didáticos:
                  -           Estudos dirigidos em sala de aula
                  -           Apresentação de trabalhos de pesquisa e reflexão
                  -           Exercícios analíticos
                  -           Leituras reflexivas
                  -           Analise de exemplos
                  -           Discussão de temas de atualidade      
TEMAS:
1.      Teoria de equilíbrio versus análise dinâmica
2.      Keynes e a lei de Say
3.      Principio da demanda efetiva
4.      Aspectos dinâmicos do modelo macroeconômico da Teoria Géral
5.      Keynes e o Keynesianismo
6.      Expectativas, incertezas, contingência – Problemas da micro-fundação da macroeconomia
7.      Kalecki – Contextualização da sua obra
8.      Diferenças e semelhanças entre Keynes e Kalecki
9.      O modelo básico de Kalecki
10.  O ciclo de negócios na macroeconomia kaleckiana
11.  Pontos problemáticos do modelo kaleckiano
12.  Schumpeter – contextualização de sua obra
13.  Inovação como “destruição criativa”
14.  O papel empresarial no desenvolvimento econômico
15.  Conhecimento disperso e contingências, ação humana e aprendizagem – modernas abordagens da dinâmica macroeconômica
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
Blanchard, Olivier: Macroeconomia, São Paulo: Pearson Prentice Hall 2007
Artigos Selecionados de Sandroni, Paulo: Novíssimo Dicionário de Economia, Editora Best Seller

BIBLIOGAFIA COMPLEMENTAR
PARTE I
Keynes, os clássicos e a criação da teoria macroeconômica moderna
Artigos “Keynes”, “Keynesianismo”, “Lei de Say”, “Demanda efetiva”, “Macroeconomia”, “Macromodelo”, “Escola Clássica”, e outros relevantes em: Sandroni, Novíssimo Dicionário de Economia
Citações das obras de Keynes: http://pt.wikiquote.org/wiki/John_Maynard_Keynes
Keynes, Minsky e a política econômica da atualidade: Minsky and Economic Policy. “Keynesianism” all over again http://www.levy.org/pubs/wp_547.pdf
PARTE II
Michal Kalecki, o princípio da demanda efetiva, investimento e dinâmica
Coelho, Daniel Simões: Os determinantes do investimento. Keynes e Kalecki http://www.ie.ufrj.br/revista/pdfs/demanda_efetiva_investimento_e_dinamica_a_atualidade_de_kalecki.pdf
Recursos adicionais sobre a discussão de Kalecki no Brasil:
PARTE III
Schumpeter, desenvolvimento econômico, empreendorismo e aprendizagem
J.A. Schumpeter, Capitalismo, Socialilsmo e Democracia
Mises, Ludwig v.: As Seis Lições (sobre política econômica) http://www.4shared.com/file/60400858/71bbe42b/Ludwig_von_Mises_-_As_Seis_Lies__Livro_.html?s=1
Tecnologia e aprendizagem:
Cortright, Joseph: New Growth Theory. Technology and Learning. A Practicioner’s Guide (US Economic Development Administration) –

MAIS RECURSOS E ATUALIZAÇÕES:

Governo quer impulsar o crescimento econômico

Governo autoriza 20 Estados a investir

agenciaestado

Os Estados conseguiram do governo federal a autorização para contratar este ano quase R$ 40 bilhões em empréstimos para financiar investimentos em infraestrutura. O valor praticamente se iguala aos R$ 42 bilhões que serão aplicados diretamente pela União em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em 2012.
Os novos projetos fazem parte da estratégia da equipe da presidente Dilma Rousseff de dar um impulso ao crescimento econômico este ano, amenizando os efeitos do corte de R$ 55 bilhões no Orçamento anunciado em 15 de fevereiro. Com a ajuda desses investimentos, o governo federal persegue uma taxa de crescimento econômico de 4,5% em 2012, previsão bastante otimista se comparada com os 3,3% previstos por economistas em pesquisa semanal do Banco Central.
Mais

Faltam engenheiros no Brasil

ESTADO.COM.BR - Opinião

A falta de engenheiros

Enquanto o Brasil forma cerca de 40 mil engenheiros por ano, a Rússia, a India e a China formam 190 mil, 220 mil e 650 mil, respectivamente. Entidades empresariais, como a Confederação Nacional da Indústria, têm feito estudos sobre o impacto da falta de engenheiros no desenvolvimento econômico brasileiro. E órgãos governamentais, como a Financiadora de Projetos (Finep), patrocinam desde 2006 programas de estímulo à formação de mais engenheiros no País.
Segundo estimativas do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), o Brasil tem um déficit de 20 mil engenheiros por ano - problema que está sendo agravado pela demanda por esses profissionais decorrente das obras do PAC, do Programa Minha Casa, Minha Vida, do pré-sal, da Copa de Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.
No País há 600 mil engenheiros, o equivalente a 6 profissionais para cada mil trabalhadores. Nos Estados Unidos e no Japão, a proporção é de 25 engenheiros por mil trabalhadores, segundo publicações da Finep. Elas também informam que, dos 40 mil engenheiros que se diplomam anualmente no Brasil, mais da metade opta pela engenharia civil - a área que menos emprega tecnologia. Assim, setores como os de petróleo, gás e biocombustível são os que mais sofrem com a escassez desses profissionais.
Mais

SELIC

Selic para março de 2012 segue em 10%

agenciaestado

Analistas mantiveram a aposta para o comportamento da taxa Selic em 2012. De acordo com pesquisa Focus divulgada hoje pelo Banco Central (BC), o mercado manteve pela 15ª semana consecutiva a aposta de que o Comitê de Política Monetária (Copom) deve reduzir a taxa básica da economia, a Selic, para 10% ao ano em março. Atualmente, a taxa está em 10,50%. Portanto, o mercado prevê redução de 0,50 ponto porcentual na reunião marcada para os dias 6 e 7 do próximo mês.
Mais

Novos recursos para o FMI

G20 quer ver dinheiro europeu antes de dar recursos ao FMI

reuters

Por Lesley Wroughton e Gernot Heller
CIDADE DO MÉXICO, 26 Fev (Reuters) - As maiores economias do planeta advertiram a Europa que deve desembolsar mais dinheiro para limitar o contágio de sua crise da dívida se quiser receber ajuda do resto do mundo, multiplicando a pressão sobre a Alemanha para que aceite aumentar os fundos de resgate da zona do euro.
A resposta das nações europeias que integram o G20 foi que no mês que vem revisarão a força de seu mecanismo de ajuda financeira de emergência, o que poderia abrir caminho para que o resto dos membros do grupo façam aportes extras ao Fundo Monetário Internacional (FMI).
Mais

Fim da festa

George Osborne: UK has run out of money

The Government 'has run out of money' and cannot afford debt-fuelled tax cuts or extra spending, George Osborne has admitted.

In a stark warning ahead of next month’s Budget, the Chancellor said there was little the Coalition could do to stimulate the economy. Mr Osborne made it clear that due to the parlous state of the public finances the best hope for economic growth was to encourage businesses to flourish and hire more workers.“The British Government has run out of money because all the money was spent in the good years,” the Chancellor said. “The money and the investment and the jobs need to come from the private sector.”

Mais

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Como funciona o progresso tecnológico?

Quando as idéias fazem sexo
No TEDGlobal 2010, o autor Matt Ridley mostra como, através da história, o motor do progresso humano tem sido o encontro e acasalamento de idéias para criar novas idéias. Não é importante quão inteligentes os indivíduos são, ele diz; o que realmente importa é quão esperto é o cérebro coletivo.
Vídeo palestra de Matt Ridley (com subtítulos)

Renda de acadêmicos

Curso superior não tem elevado renda, diz estudo do IBGE

DE SÃO PAULO
O diploma de curso superior não tem assegurado, necessariamente, crescimento do poder de compra nos últimos anos, mostra recente estudo feito pelo IBGE, informa reportagem de Mariana Schreiber, publicada na Folha desta terça-feira (a íntegra está disponível assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Na média, a renda dos trabalhadores com diploma universitário ficou praticamente estagnada de 2003 a 2011.
Mesmo com recuperação econômica, renda recua no país, diz Ipea
Estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgado no início do mês mostrou que, apesar da recuperação econômica que o Brasil vem experimentando, a renda tem evoluído pouco.
Segundo o levantamento, entre 1995 e 2002, o rendimento do trabalho na renda nacional recuou 11,8%, enquanto entre 2002 e 2009 houve acréscimo de 2,5%. No ano de 2009, a parcela do rendimento do trabalho foi 9,6% inferior à verificada em 1995. O rendimento do trabalho é o quanto o salário do trabalhador compõe a renda nacional.
Mais

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Trajetória da dívida pública grega

Mais

Crescimento econômico, desmaterialização e deflação

The Future Is So Bright, it's Dematerializing
The Wall Street Journal
Economic growth is a form of deflation. If the cost of, say, computing power goes down, then the users of computing power acquire more of it for less—and thus attain a higher standard of living. One thing that makes such deflation possible is dematerialization, the reduction in the quantity of stuff needed to produce a product. An iPhone, for example, weighs 1/100th and costs 1/10th as much as an Osborne Executive computer did in 1982, but it has 150 times the processing speed and 100,000 times the memory...
 Dematerialization is one of the reasons that Peter Diamandis and Steven Kotler give for the future's being "better than you think" in their new book, "Abundance." Mr. Diamandis founded the X Prizes, which handsomely reward those who reach certain far-minded goals in technology, medicine, energy and ecology...
Mais

A relação entre "felicidade" e PIB per capita em poder de compra


DESPITE the economic gloom, the world is happier than it was before the financial crisis set in (according to a recent poll from Ipsos which surveyed 19,000 adults in 24 countries). 77% of respondents describe themselves as "happy", three percentage points higher than in 2007. Those countries who report themselves as being the happiest tend to be in poor and middle-income countries, while the gloomiest are in rich countries (the figures for Italy and Spain were 13% and 11%).
Mais

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A gramática de impostos

Impostos recorde

Arrecadação federal bate recorde de R$102,6 bi em janeiro

reuters
Em sexta-feira 24/2/2012, às 11:00

BRASÍLIA, 24 Fev (Reuters) - O governo federal arrecadou 102,579 bilhões de reais em impostos e contribuições em janeiro, recorde histórico. O número representa uma alta real de 6,04 por cento sobre igual mês do ano passado, informou a Receita Federal nesta sexta-feira.

Maracanã

  • Plano e Realidade - os gastos para  renovação do Maracanã agora já estão mais altos que os custos da construção dos melhores novos estádios na Europa e ainda falta muito de completar até a Copa. Magia brasileira: os custos aumentam e o dinheiro desaparece e ninguém sabe como. O tempo passa e ninguém se sente responsável, mas quase todos cobram sem vergonha.
  •  

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Os custos da crise financeira global calculados em anos perdidos


Mais

Mentiras argentinas - manipulação da taxa de inflação oficial


Mais

Nova recessão na Europa

Economia da zona do euro encolherá em 2012 e UE ficará estagnada

reuters
Em quinta-feira 23/2/2012, às 9:13

BRUXELAS, 23 Fev (Reuters) - A economia da zona do euro está caminhando para sua segunda recessão em apenas três anos, enquanto a União Europeia ficará estagnada, afirmou o escritório da UE nesta quinta-feira, alertando que a região ainda precisa quebrar o ciclo vicioso de dívida.
A produção econômica das 17 nações que compartilham o euro irá contrair 0,3 por cento este ano, afirmou a Comissão Europeia em relatório, revertendo a previsão anterior que mostrava crescimento de 0,5 por cento em 2012. A União Europeia, composta pelas 27 nações que geram um quinto da produção global, não registrará crescimento este ano, segundo expectativa da Comissão...
A zona do euro esteve em recessão pela última vez em 2009 em decorrência da crise econômica global, com a economia se contraindo em 4,3 por cento, na maior retração mundial desde os anos 1930.
Mais

Déficit na conta corrente

Em janeiro, Brasil tem déficit em conta corrente recorde, diz BC

reuters
Em quinta-feira 23/2/2012, às 11:20

BRASÍLIA, 23 Fev (Reuters) - O Brasil registrou em janeiro déficit em transações correntes de 7,086 bilhões de dólares, o pior já registrado desde o início da série histórica iniciada em 1947, informou o Banco Central nesta quinta-feira. Economistas consultados pela Reuters previam um déficit de 6,950 bilhões de dólares no mês passado.
No acumulado em 12 meses encerrados em janeiro, o déficit em conta corrente do país ficou em 2,17 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).
Mais

Surf em Munique no inverno 2011/12

Que pena que o inverno está acabando - apenas mais uma semana de surf no gelo

Os dois lados da economia alemã

"... Germany is rightly known for Porsches and BMWs that are coveted by affluent buyers around the world, as well as much of the machinery that keeps factories running from China to Michigan. Alongside the export juggernaut, though, is another, creakier economy that operates well below its potential and holds back not only Germany but the rest of Europe, some economists say. This economy is overregulated, intended to insulate insiders from competition and deeply resistant to change. Though Germany’s chancellor, Angela Merkel, often harangues countries like Spain, Italy and Greece to become more competitive, the German economy features some of the same flaws that they do, including protected professions and zoning laws that favor existing businesses over new ones. “Germany has what I would call a dual economy,” said Andreas Wörgötter, a senior economist at the Organization for Economic Cooperation and Development in Paris. “On one side, we have this very dynamic, innovative, competitive and refreshingly unsubsidized export sector,” he said. “On the other side, there is a much less glamorous services sector which depends on barriers to entry, subsidies and not developing and reaching out for new activities.”

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Custo Brasil

No Brasil, produtos da Apple são mais caros que em qualquer outro país

Sílvio Guedes CrespoOs produtos da Apple no Brasil são 28% mais caros que a média dos demais países, segundo o autor do texto, o jornalista Kenneth Rapoza. A explicação que ele dá para essa situação está nos altos impostos pagos no País. Mas ele insinua, também, que o fato de os brasileiros valorizarem muito o status social permite que os produtos sejam caros... 
O jornal “Intenational Herald Tribune“, versão internacional do “New York Times”, recentemente publicou uma reportagem sobre o mesmo assunto. Nela, enfatizava que, além do câmbio e dos impostos, a vaidade dos brasileiros era um dos fatores que explicam os preços altos no País.
Na ocasião, o brasileiro Carlos Eduardo Xavier, da McKinsey, disse ao jornal: “A exibição é uma parte muito importante [no Brasil]. É importante mostrar que a camisa polo que ele está usando é da Ralph Lauren. [...] Acho que isso é mais importante para os brasileiros do que para outros”...
Mais

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Mais medidas de austeridade na Grécia

Gabinete grego apoia medidas extras de austeridade

reuters
Em sábado 18/2/2012, às 19:32

Por David Stamp e George Georgiopoulos
ATENAS (Reuters) - O gabinete grego aprovou neste sábado um conjunto final de medidas de austeridade exigido pela União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI) como condição para um pacote de resgate de 171 bilhões de dólares, aumentando as chances de fechar um acordo na semana que vem para evitar um calote da sua dívida.
Mais