segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Previsão da inflação brasileira

Mercado financeiro prevê inflação pouco menor em 2012

O mercado financeiro reduziu levemente a projeção para a inflação em 2012, segundo o Boletim Focus, divulgado na manhã de hoje pelo Banco Central (BC). A expectativa para a inflação oficial no ano que vem caiu de 5,60% para 5,59%, em um patamar distante do centro da meta de inflação para o ano, que é de 4,50%. A meta tem margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. 

Uso da capacidade industrial

Uso da capacidade instalada da indústria cai, diz FGV

O Nível de Utilização de Capacidade Instalada (Nuci) da indústria ficou em 83,5% em outubro, com ajuste sazonal, um dado inferior ao de setembro, quando registrou patamar de 83,6%. Foi o menor nível desde novembro de 2009 (82,9%), segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Segundo a FGV, o Nuci de outubro ficou 1,7 ponto porcentual abaixo do de outubro do ano passado, e próximo à média de 83,3% apurada desde 2003. Na série de dados sem ajuste sazonal, o Nuci em outubro foi de 84,7%, acima do apurado em setembro (84,4%).
Mais

Emprego e PIB baixo nos países ricos

OCDE prevê emprego baixo e PIB lento nos países ricos

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) prevê dois anos de crescimento fraco e desemprego em alta nos países desenvolvidos. A entidade estima que essa projeção pode se deteriorar se a zona do euro não conseguir conter a crise da dívida soberana.

Alto desemprego na zona do euro

Desemprego na zona do euro já é o maior desde 1998

O número de pessoas sem emprego na zona do euro atingiu um novo nível recorde em setembro, após registrar a maior alta mensal em mais de 2 anos, de acordo com dados divulgados hoje pela agência oficial de estatísticas do bloco, a Eurostat.
Havia 16.198 milhões de desempregados em setembro - o maior volume registrado na zona do euro desde que os dados começaram a ser compilados em janeiro de 1998. O valor equivale a 10,2% da população da região. Em agosto, a taxa de desemprego foi de 10,1%. A previsão dos analistas era de que a taxa ficaria em 10%.
Mais

Expectativas racionais

Gross: Additional Easing Programs to Push Yields Higher

Bill Gross, manager of the world’s biggest bond fund at Pacific Investment Management Co., said the additional easing programs hinted at by Federal Reserve officials will push yields on longer-term Treasuries higher.
“Sovereign monetary and fiscal policies, while generating undersized real growth, have managed to produce disproportionally large inflation,” Gross wrote in a monthly investment outlook posted on Newport Beach, California-based Pimco’s website today. “Developed economies -- the U.S. included -- have experienced 3 percent plus inflation in the midst of a New Normal economy. Portfolios should avoid longer dated issues where inflation premiums dominate performance.”
Mais
Comentário: Isto é um exemplo como o mercado financeiro opera aparentemente paradoxial, mas sim, na verdade, mais massa monetária quando cria inflação, não provoca taxa de juros mais baixas, mas sim mais altas, como se vê agora e como e analisado do Bill Gross. Analise como a curva dos termos de rendimentos muda.

A rede da divida soberana europeia

Credit-Default Swap Risk Bomb Is Wired to Explode: Mark Buchanan
The European sovereign debt crisis stands as the latest in a long line of similar crises. Argentinain 2001. Russia in 1998. Mexico in 1994. The list goes back into history. Debt crises are about as natural as earthquakes, but this time there is something different -- and possibly more dangerous.
The European nations are linked in a network of debts, as Bill Marsh recently illustrated in the New York Times with a beautiful piece of graphic art. Greece and Italy are prominent; Ireland, Portugal and Spain lurk ominously nearby. France and Germany seem exposed, too, as does the U.S.
Mais

Palestras e entrevistas 2011

LINK para as palestras e entrevistas

- A Teoria do Capital e o Papel do Empreendedor
I CEAPE Caruaru PE - 22 de Outubro de 2011

 
- Mercosul - Coordenação das políticas
monetárias no Mercosul
Entrevista Projeto Bloco Econômcos

 
- Turismo - Que produto é esse?
1a. Aula Café Departamento de Turismo Estácio
FASE Aracaju
16 de Setembro 2011


- Causas da crise americana e o futuro da zona
do euro
IV Agosto do Economista 24-26 de Agosto UFS

 
- O Cenário Internacional - Inflação ou Deflação?
II. Encontro da Escola Austríaca do Brasil.
Vídeo - 10 de Abril de 2011


Facing the Challenge of Global Turmoil.  
The Position of Brazil in the International Monetary System (Áudio Podcast) 
20 de Abril de 2011

- A Crise da Dívida Soberana Europeia -
12 de Julho de 2011
Entrevista com Journal da UFS
 

LINK

domingo, 30 de outubro de 2011

Publicações Recentes

Antony P. Mueller - Publicações Recentes
O caminho da prosperidade 10/2011 

A internet e o futuro da liberdade 9/2011
Será o fim da hegemonia do dólar? 08/2011
Além da boa governança 08/2011
Euro - que moeda é essa? 07/2011
Deflação pode ser uma coisa boa? 06/2011
Inflação: causas e consequências 05/2011
O papel do empreendedor no desenvolvimento econômico 04/2011
Investimentos: bons e ruins 03/2011
"O que está por trás da guerra cambial?" 02/2011
Praxeologia versus Positivismo 02/2011
A teoria do valor e ideologia política 01/2011
Artigos para se entender a crise Mises Brasil E-book
"What's Behind the Currency War?" Mises Institute USA Feb 2011

"The Origin of the Crisis",
Back on the Road to Serfdom. The Resurgence of Statism,
ed. by Thomas E. Woods,
ISI, Washington, DC, 2011

Mueller e Nascimento
"O papel da política monetária-cambial no processo de integração e desenvolvimento da America Latina" 

Buenos Aires 2011

The Stimulus Scam
Trouble at the Fed
"Implementing aRegional Gold Standard.Lessons from European
Monetary Integration"
Antony Mueller and Paulo
Barcellos:
"
The Right Move. Market-oriented quality management"
The Ludwig von Mises Institute (ed.):
"The Bailout Reader"
Antony Mueller:"What's Behind the Financial Market Crisis?"
More Recent Articles
Cash and Currencies The Continental Economics Currency Review----
Money, Markets, and the
Business Cycle
Past comments (2007-2010)
on currencies, monetary
policy, and financial markets:
continentaleconomics.com/blog

sábado, 29 de outubro de 2011

Consequências econômicas do envelhecimento

Envelhecimento da população mundial preocupa pesquisadores

Número de pessoas com mais de 60 anos deve triplicar até 2050.
Estimativas da ONU indicam menor crescimento da população de 7 bilhões.

Daniel Buarque Do G1, em São Paulo
Comente agora
O mundo está envelhecendo rapidamente. Entre as principais preocupações dos estudiosos de demografia ao comentar as estimativas da ONU de que o mundo vai atingir na segunda-feira (31) a marca de 7 bilhões de pessoas está não o aumento do total de pessoas no planeta, mas a tendência de crescimento na população com mais de 60 anos, que vai triplicar nos próximos 40 anos...
Há no mundo 893 milhões de pessoas com mais de 60 anos, mas no meio do século este número passará de 2,4 bilhões....Mais

Fundo de resgate europeu recebe AAA

Agências rating confirmam nota máxima da EFSF

agenciaestado
Em sábado 29/10/2011, às 9:25
As três principais agências de avaliação de risco - Standard & Poor's, Moody's Investors Service e a Fitch - confirmaram os ratings AAA da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês), o fundo de resgate europeu. O nível mais elevado dos ratings foi reiterado com base nas emendas decididas em julho e que entraram em vigor no dia 18 de outubro, elevando a capacidade de empréstimos do fundo para 440 bilhões de euros (US$ 622 bilhões), com um comprometimento garantido de 780 bilhões de euros, informou a EFSF em um comunicado.
Mais

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Brasil quer mais peso no FMI

Brasil levará ao G-20 proposta de ajuda à Europa via FMI

agenciaestado
Em sexta-feira 28/10/2011, às 15:04

Se for para contribuir financeiramente para a recuperação da Europa, o Brasil prefere fazê-lo aportando mais recursos no Fundo Monetário Internacional (FMI), para que o organismo multilateral transfira o dinheiro por meio de suas linhas tradicionais de empréstimo. Essa é o ponto de partida dos negociadores brasileiros que participarão na semana que vem da reunião de cúpula do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), na cidade francesa de Cannes.
O Brasil prefere essa forma de atuação por considerá-la mais consolidada do que os outros mecanismos de ajuda que estão sobre a mesa. Além disso, os aportes adicionais ao FMI podem ser transformados em cotas do Brasil na instituição, aumentando seu peso nas decisões do organismo. Foi o que aconteceu com os US$ 10 bilhões que o País aportou no fundo em 2009.
Mais

Taxa de desemprego na Espanha bate recorde

Espanha: desemprego sobe para 21,5% no 3º trimestre

agenciaestado
Em sexta-feira 28/10/2011, às 6:31

O desemprego na Espanha subiu para 21,5% no terceiro trimestre, um recorde entre os países industrializados, apesar da forte temporada do turismo de verão, mostram dados divulgados hoje instituto de estatísticas INE. No segundo trimestre, a taxa de desemprego era de 20,89%.
Mais

Crescimento econômico - teoria da complexidade


The buidling blocks of economic growth

Complexity matters

Oct 27th 2011, 17:15 by H.G. | LONDON
ECONOMISTS Ricardo Hausmann, of Harvard Univeristy, and César Hidalgo, of the Massachusetts Institute of Technology, have just released the absorbing (and very visually appealing) Atlas of Economic Complexity. It builds on their earlier work which we wrote about here. Mr Hidalgo is a physicist who applies his knowledge of networks to economics.

Para OCDE, pacote da UE é de solução de curto prazo

Em quinta-feira 27/10/2011

O secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Angel Gurría, afirmou hoje, em Brasília, que as linhas gerais do pacote da União Europeia, anunciadas hoje, são de solução de curto prazo. Segundo ele, as medidas podem levar a uma trégua com o mercado. "Havia três assuntos para serem resolvidos e os três assuntos foram endereçados. Pode não ser o fim do assunto, mas foi um bom dia", afirmou Gurría. Os três problemas citados por ele são a dívida da Grécia, a possibilidade de contágio fiscal de outros países e a capitalização dos bancos. Gurría disse que a China e outros países devem comprar títulos europeus "não como ajuda, mas como decisão de investimento". "A Europa é um bom investimento".
Mais

Vettel na Índia - preparando a pista para a próxima corrida F1

China, Brasil e o crescimento econômico

Vale muito assistir este áudio podcast do Prof. Michael Pettis para entender o que passou com o Brasil e o que esta acontecendo na China atualmente (em inglês):
http://paul.kedrosky.com/archives/2011/10/michael-pettis-talks-china.html

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Artigos 2011 com Ordem Livre - Novos links

Novos links para os artigos de Antony Mueller na Ordemlivre.org:

- O caminho da prosperidade

 
- A internet e o futuro da liberdade

 
- Será o fim da hegemonia do dólar?


- Além da boa governança

- Euro - que moeda é essa?

- Deflação pode ser uma coisa boa?

- Inflação: causas e consequências

- O papel do empreendedor no desenvolvimento econômico

- Investimentos: bons e ruins

- O que está por trás da guerra cambial?

- Praxeologia versus Positivismo

- A teoria do valor e ideologia política

O que acontece quando o governo corta os gastos?

Do governments ever cut spending? According to Dr. Stephen Davies, there are historical examples of government spending cuts in Canada, New Zealand, Sweden, and America. In these cases, despite popular belief, the government spending cuts did not cause economic stagnation. In fact, the spending cuts often accelerated economic growth by freeing up resources for the private sector.
Veja este vídeo educacional. When governments cut spending

Os desafios econômicos do Brasil segundo a OCDE

OCDE: controlar inflação é o maior desafio do Brasil
O principal desafio das autoridades brasileiras é frear a inflação, segundo relatório divulgado hoje pela Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico (OCDE), entidade internacional que agrupa os países mais industrializados.
O estudo aponta algumas medidas que poderiam auxiliar no combate à inflação e enviar sinais claros ao sistema bancário para reduzir o spread (diferença) nos empréstimos a pessoas físicas e empresas. O governo poderia, por exemplo, adotar uma meta fiscal mais clara, sem recorrer a subterfúgios, como o uso de recursos depositados em juízo e arrecadação acima do previsto para atingir a meta de superávit primário, aponta o documento.

A reforma da Previdência, para preparar o Brasil para o envelhecimento da população economicamente ativa, seria outro importante sinal para o mercado sobre a seriedade do governo com a contenção de gastos. A adoção de um teto para gastos do governo e outro para a expansão dos salários do funcionalismo seriam outras ferramentas importantes. "Aumentar a poupança pública é prioridade", afirma o relatório.
Mais

OECD Economic Survey of Brazil


Economic Survey of Brazil

Since the mid 1990s, Brazil has enjoyed improved economic and financial stability largely owing to a strengthening of its macroeconomic framework. In order to quickly catch up with the group of high income countries the overriding need is to achieve strong and sustainable growth. This will require continued good macroeconomic, social and environmental policies and structural reforms designed to boost savings and investment and foster infrastructure development. Higher international uncertainties and cross country interdependence, rapid population ageing and a greater reliance on oil revenues will call for policymakers to expand their tool kit to respond to this challenge.
The key macroeconomic challenge is to damp inflation in a context of abundant global liquidity. The economy recovered rapidly from the 2008-09 global crisis thanks to a timely policy response. Annual growth in 2010 was the strongest in two decades. Driven by both structural factors and international financial conditions, the real has steadily appreciated since 2003, except during the 2008 financial crisis and more recently when a flight from risk in the midst of financial-market turbulence weakened it. Inflation pressures have emerged. To prevent excessive currency fluctuations and safeguard financial stability the authorities initially combined increases in interest rates and reserve requirements with foreign exchange intervention and a temporary tax on short term capital inflows (IOF). As the global outlook worsened, the policy mix was shifted toward easier monetary policy and some fiscal consolidation. If that proves insufficient in the current uncertain environment, policymakers can have recourse to macro prudential measures or adjusting the IOF.
However, they should rely more prominently on fiscal consolidation. The spending cuts announced earlier this year and the setting of primary surplus targets for the next three years in levels consistent with public debt reduction in the draft 2012 Budget Law are welcome and the government should continue in this direction. Over the medium term, moving to a headline budget target and introducing an expenditure ceiling while removing widespread revenue earmarking would foster sustainability of government and social security accounts.

Mercado de imóveis

Imóveis: especialistas afastam risco de bolha, mas preços podem cair

SÃO PAULO – Quem comprou um imóvel há 36 meses por R$ 100 mil na cidade de São Paulo, hoje deve vendê-lo por algo em torno de R$ 190 mil. Isso é o que indica o índice de preço de imóveis Fipe Zap, que mostra uma valorização média de 90% dos imóveis nos últimos 3 anos na cidade. Só nos últimos 12 meses, a alta de preços beira os 30%, tanto na capital paulista quanto no Brasil.
Mais

Dicionário Econômico

O mais completo dicionário econômico do mundo está online agora
The New Palgrave Dictionary Online

Infraestrutura precária

Maioria das rodovias do País têm problemas, diz estudo

agenciaestado
Em quarta-feira 26/10/2011, às 12:09
Mais da metade dos 92,747 mil quilômetros de rodovias pavimentadas do Brasil apresentam algum tipo de problema. O diagnóstico foi divulgado hoje pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), em Brasília, na divulgação da 15ª Pesquisa CNT de Rodovias. A pesquisa mostra que 57,4% das rodovias têm alguma deficiência e 26,9% estão em situação crítica. De 2010 para 2011 o estudo mostra o aumento de pontos críticos de 109 para 219.
Mais

O caminho da prosperidade

caminho

O caminho da prosperidade

por Antony Mueller

O governo brasileiro colocou a eliminação da miséria no topo da sua lista de prioridades políticas. Assim o governo atual continua a política da promoção do crescimento econômico como foi feito do governo anterior com o chamado PAC – Programa de Aceleração do Crescimento. No entanto, com o crescimento econômico, a questão não é tanto de alcançar altas taxas de crescimento por um curto período de tempo; o verdadeiro desafio é se se pode sustentar o crescimento econômico ao longo do tempo. O desenvolvimento econômico é uma maratona e o que parece às vezes bem sucedido no curto prazo se mostra desastroso no longo prazo. Gastos públicos e intervencionismo funcionam para instigar um surto de crescimento, mas para alcançar a prosperidade duradoura precisa-se boa governança e de uma economia livre.
Leia mais...

Macro II - Prova 2

A segunda prova em Macro II vai ter lugar no 8 de Novembro
Tema: A macroeconomia das expectativas

Áudio Podcasts
Teoria Macroeconômica das Expectativas
- 2012/2
- Modelo de Demanda e Oferta Agregada sob a Perspectiva das Expectativas 

- Modelo básico
- Demanda e Oferta Agregada sob a Perspectiva das Expectativas 

- Efeitos da Expansão Monetária
- A Macroecononomia das Expectativas
- Taxa de Juros e o Papel das Expectativas
- Expectativas. Ferramentas básicas
- Política Macroeconômica e Expectativas

LINK
Mais recursos Macro II

Macro III - Prova 2

Material para preparar a prova do 7 de Novembro de 2011

Análise Macroeconômica III - Depressões e Crisis 2011/2 
Áudio Podcasts:
- Patologias Macroeconômicas - Contextualização
- A Grande Depressão
- Patologias Macroeconômicas - Modelo básico
- Análise dos Modelos das Patologias Macroeconômicas
- Senhoriagem, Hiperinflação e a Regra de Taylor

LINK para os podcasts
LINK par o data Show "Patologias Macroeconomicas" e mais recursos

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Classificação do risco brasileiro fica a BBB

Fitch mantém nota do Brasil em BBB, com perspectiva estável

efe
Em terça-feira 25/10/2011, às 15:18
Rio de Janeiro, 25 out (EFE).- A agência de classificação de risco Fitch anunciou nesta terça-feira que mantém estável a nota da dívida soberana do Brasil em BBB, com perspectiva estável.
O Brasil tem a seu favor uma grande capacidade de liquidez com suas reservas de divisas de US$ 350,6 bilhões, sua posição de credor externo, uma política macroeconômica flexível e um sistema bancário saudável, diz a Fitch em comunicadeo.
Segundo a agência, essas vantagens permitirão ao Brasil superar o período de maior volatilidade financeira internacional.
A Fitch, no entanto, criticou a fraqueza do sistema de crédito do Brasil, a alta dívida pública, a baixa flexibilidade fiscal, a lentidão das reformas econômicas e a grande carga tributária que dificulta o ambiente de negócios.
Mais

Produtividade da economia brasileira

Produtividade brasileira está parada há 30 anos

Fernando Dantas
RIO - O trabalho no Brasil não se tornou mais produtivo ao longo dos últimos 30 anos. A produtividade do trabalho, fator fundamental do crescimento econômico sustentado, caiu entre 1980 e 2008. De lá para cá, o indicador recuou na crise global, depois se recuperou rapidamente, mas parou de crescer a partir do segundo semestre de 2010.
"O Brasil é um país no qual, não importa como se meça a produtividade, nada parece acontecer", diz José Alexandre Scheinkman, economista brasileiro da Universidade Princeton....
Dados da Universidade da Pensilvânia mostram que, entre 151 países, Brasil está em 130º, com recuo de 15% entre 1980 e 2008...
Para Scheinkman, a má performance brasileira deve-se a deficiências de educação e infraestrutura, à integração ainda baixa com a economia global, à baixa absorção de tecnologia, à falta de inovação em muitos setores e às dificuldades burocráticas para formalizar ou aumentar o tamanho das empresas.
O economista Samuel Pessôa, da consultoria Tendências, acha que uma série de fatores interrompeu o bom desempenho da produtividade do trabalho no Brasil a partir do início da década de 80.
Um dos mais básicos foi a evolução da tecnologia a partir de meados dos anos 70, que começou a exigir trabalhadores com melhor qualidade educacional.
"Aquele milagre brasileiro no pós-guerra, em um país de baixíssima escolaridade, sem nenhum investimento em educação, se dissipou, porque a tecnologia mudou na direção de requerer capital humano, que era exatamente o que não tínhamos e ainda não temos", diz Pessôa.  
Mais 
Link para Penn World Table

Novo: The World Top Incomes Database

Estatisticas sobre renda e riqueza no mundo de hoje:
The World Top Incomes Database do Banco Mundial 

Macro III - Prova 2

A próxima prova vai ter lugar no 7 de Novembro.
Temas: Crises e Depressões, Patologias macroeconômicas, Armadilha de Liquidez, Senhoriagem e hiperinflação, Metas da inflação e Regra de Taylor

Correlação entre teste em matemática e PIB

Mais

Onde se lê este blog

Previsões para a economia brasileira

Bancos preveem menos crescimento e inflação para este ano

efe

Em segunda-feira 24/10/2011, às 13:26
Brasília, 24 out (EFE).- A economia brasileira deverá crescer 3,3% este ano, com uma inflação de 6,50%, segundo um estudo elaborado sobre a base de previsões de economistas dos bancos do setor privado, que foi divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central.
O resultado do relatório, conhecido como Focus, aponta uma ligeira redução tanto das previsões de crescimento, que até na semana passada eram de 3,4%, como da inflação, que o mercado situava em 6,52%.
As previsões do mercado se alinham com os números do Banco Central, que trabalha com uma previsão de crescimento em torno de 3,3% e uma inflação de 6,5%, taxa que representa o ponto mais elevado da meta do Governo para este ano, estipulada em 4,5%. Porém, há de ser considerada uma tolerância de dois pontos percentuais.
Mais

Basileia III - Regulamentação do capital no setor bancário

July 29, 2011
Policy Analysis no. 681

Capital Inadequacies: The Dismal Failure of the Basel Regime of Bank Capital Regulation



The Basel regime is an international system of capital adequacy regulation designed to strengthen banks' financial health and the safety and soundness of the financial system as a whole. It originated with the 1988 Basel Accord, now known as Basel I, and was then overhauled. Basel II had still not been implemented in the United States when the financial crisis struck, and in the wake of the banking system collapse, regulators rushed out Basel III.
In this paper, we provide a reassessment of the Basel regime and focus on its most ambitious feature: the principle of "risk-based regulation." The Basel system suffers from three fundamental weaknesses: first, financial risk modeling provides the flimsiest basis for any system of regulatory capital requirements. The second weakness consists of the incentives it creates for regulatory arbitrage. The third weakness is regulatory capture.
The Basel regime is powerless against the endemic incentives to excessive risk taking that permeate the modern financial system, particularly those associated with government-subsidized risk taking. The financial system can be fixed, but it requires radical reform, including the abolition of central banking and deposit insurance, the repudiation of "too big to fail," and reforms to extend the personal liability of key decisionmakers — in effect, reverting back to a system similar to that which existed a century ago.
The Basel system provides a textbook example of the dangers of regulatory empire building and regulatory capture, and the underlying problem it addresses — how to strengthen the banking system — can only be solved by restoring appropriate incentives for those involved.
Texto completo

Brasil - UE

Brasil ainda não recebeu proposta da UE sobre bônus, diz fonte

reuters
Em segunda-feira 24/10/2011, às 22:18
Por Jeferson Ribeiro
BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil ainda não recebeu oficialmente qualquer proposta da União Europeia para oferecer maior garantia aos bônus dos países da zona do euro por meio de um instrumento de propósito específico e ainda estuda a proposta que fará na próxima semana para colaborar para uma solução da crise global na reunião do G20, disse à Reuters nesta segunda-feira uma fonte do governo.
Mais

You say goodbye - I say hello

Parlamento britânico discute referendo sobre saída da UE

agenciaestado
Em segunda-feira 24/10/2011, às 12:05
O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, enfrentará hoje o maior desafio de seu governo, quando o Parlamento deve votar a realização de um referendo sobre a permanência do país na União Europeia (UE). O debate começa por volta das 12h e a votação deve ocorrer às 19h.
Mais
The Beatles:
You say yes, I say no.
You say stop and I say go go go, oh no.
You say goodbye and I say hello
Hello hello
I don't know why you say goodbye, I say hello
Hello hello
I don't know why you say goodbye, I say hello

Mais

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Dólar, euro, iene

Dólar cai perante euro e iene

efe
Em segunda-feira 24/10/2011, às 22:02
Nova York, 24 out (EFE).- O dólar perdeu valor nesta segunda-feira em relação ao euro e ao iene, influenciado pelo otimismo para a cúpula de quarta-feira entre os líderes europeus com o objetivo de pôr fim à crise da dívida na zona do euro.
Mais

Halloween - por que ter medo?

Resposta:
A dívida do governo dos Estados Unidos vai chegar a 100 por centos do PIB no dia do Halloween -

A teoria do capital e o papel do empreendedor

Data Show e áudio podcast da apresentação de Antony Mueller no I CEAPE no 22 de Outubro de 2011
Primeiro Congresso de Empreendedorismo do Agreste de Pernambuco realizado pelo Conselho Acadêmico de Economia da UFPE
Data Show "A Teoria Austríaca do Capital e o Papel do Empreendedor" 
Áudio Podcast

Dinâmica da dívida europeia

Mais

Expectativas inflacionárias em baixa

Mercado reduz projeção para inflação em 2011 e 2012

agenciaestado
Em segunda-feira 24/10/2011, às 8:58
O mercado financeiro reduziu a projeção para a inflação em 2011 e 2012, segundo o Boletim Focus, divulgado na manhã de hoje pelo Banco Central (BC). A expectativa para a inflação oficial neste ano caiu de 6,52% para 6,50%, em um patamar ainda distante do centro da meta de inflação para o ano, que é de 4,50%. A meta tem margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.
A projeção para a inflação em 2012 passou de 5,61% para 5,60%. A previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de outubro deste ano seguiu em 0,45%. A estimativa para o IPCA de novembro permaneceu em 0,50%.
Mais

domingo, 23 de outubro de 2011

Nova literatura sobre programas de austeridade

Sources
* “Austerity and Anarchy, Budget Cuts and Social Unrest in Europe, 1919-2009”, by Jacopo Ponticelli and Hans-Joachim Voth, CEPR Discussion Paper, August 2011
* “Tightening tensions: Fiscal policy and Civil Unrest in Eleven South American Countries, 1937-1995”, Central Bank of Chile Working Papers, by Hans-Joachim Voth, February 2011
* “Top incomes in the long run of history”, by Anthony Atkinson, Thomas Piketty and Emmanuel Saez, Journal of Economic Literature, 2011
* “Income distribution, political instability, and investment”, by Alberto Alesina and Roberto Perotti, European Economic Review, 1996
* “The polarization of job opportunities in the US labor market”, by David Autor, April 2010
* “Redistribution and civil unrest”, by Patricia Justino, American Economic Association, 2005
* “Why did the west extend the franchise? Democracy, inequality, and growth in historical perspective”, by Daron Acemoglu and James Robinson, Quarterly Journal of Economics, November 2000
* “Food prices and political instability”, by Rabah Arezki and Markus Brückner, IMF Working Paper, March 2011
FONTE

Monetização da dívida pública pelo Banco Central Europeu

Mais

Custos de trabalho por unidade


Veja a diferencia entre os custos de trabalho por unidade (unit labour costs) entre os países da periferia e a Alemanha e faz a sua conclusão sobre o nivel da competitividade como a sua consequencia. 
Mais

Performance do euro 1999-2011


Taxa de juros de refinanciamento (azul claro) e taxa de câmbio contra o dólar (vermelho oscuro)
http://www.economist.com/node/21533368